Tentando o possível

Talvez os olhos atravessem a mão, a palheta e a tela, cheguem à valise entre o púbis e a ação, além dos lábios finitamente retorne o sonho e se sintam então atravessados.

++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++

PROJETO VALISE 2008

Ficcionalizemos o que não se fixou
: a chegada da mosca ao novíssimo continente

Quando foi? Em 1788, ou em quaisquer outros
anos que terminam em dígito oito talvez pouco importe

Mas oito é uma estação tão boa quanto qualquer
outra em que a valise se abra before the experience

Achemos assim na experiência ficcional
o que de fatos ignorados pela experiência
irrepetível do passado revele a ficção

Achemos na experiência ficcional
a sombra irrepetível dos fatos
não acontecidos como os mesmos e outros achados
e perdidos do não visto sob o enigma
da história que continua outra

e a mesma em seu percurso
tentando o impossível

um outro sentido aos descartes
do viajante ignorando o próprio diário
e o interior da valise

________________________

CONTRIBUA COM ESTE PROJETO

DÊ UM SENTIDO ADEQUADO AOS DESCARTES
DA HISTÓRIA

QUEM SABE CHEGUEMOS A ESCREVER
UM MEMORIAL DAS COISAS IRREAIS
INFILTRADAS DE HISTÓRIAS
DESESPERADAS POR SOBREVIVER

Crédito da imagem: Tentando o impossível (1928), Magritte palhetando a fundação do desejável

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: