Perversões na Valise II

 estudo-sobre-francis-bacon1

                 

(1) Relato do primeiro homem

 

  

O girão dos dentes na clausura de uma malha que, inexcedível, não pode ser mais apertada. Pouco sei de arte de mão. Muito pouco mesmo. Mas o serviço é exatamente este: arrume um desses petizes bem tronchos de gordo. Desses bem lácteos a ninho. Desses petiçotes bem nutridos a danoninho e ovos de pata com leite condensado. Ah sim. Tem que ser bem branquinho, bem fornido de polenguinho, pufe e games. Desses. Não lhe dê nada pelos gorgomilos por uns dois ou três dias. Depois só uma carnezinha bem magra com água de macarrão e aquele chá de Valéria que os antigos tão bem conheciam. Pois bem. Depois de uns quinze dias apanhe de uma boa maçaroca, o fio firme e necessário. Veja que o volumoso do corpo diminuído deve ter bem reduzido o riso fácil do gordinho.

Esteja ciente de que não é fácil vestir o manequim com um número muito menor. Para a manobra é então conveniente talvez auxílio de mãos fortes e uma boa infusão de folhas de jacundá com mel. Mesmo dopado, ainda assim não é tarefa fácil. Uma vez vestida a malha é ainda bastante conveniente continuar por uns dias com a dieta inicial. O choro então nem sempre é brando. É preciso vedar bem o ambiente. Depois podem-se começar os testes. Pode-se começar com um bom regime de engorda: carboidratos, óleos vegetais e as pastas mais calóricas. Mais o que de bom hábito já consumia: iogurte, chocolates e merengues. O resultado não tarda. O girão do corpo na clausura de uma boa malha sempre nos pode arrancar um bom suspiro de contentamento. Mas particularmente prefiro fotografar e filmar os efeitos rombóides no girão dos lábios finos e doridos. É questão de mor sutileza. A dor que causamos quando tanto mais muda nos dá carreiras à alegria. E é nos olhos abatidos pela maceração que se pode alcançar o mais elevado gozo. Ademais não me faz muito bem encarar de frente embutidos, mortadela, lingüiça. Tenho estômago delicado. Sem falar que os sul-asiáticos com ar blasé sempre me pagam mais pela matéria, boa produção, quando sutilmente sugerida.

 

Texto e Arte: estudo de Francis Bacon por Marco Aqueiva

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: