Arquivo de janeiro, 2009

ReTOmanDO as alças da VaLiSe

Posted in 2009, Art, arte, literatura, literature, Projeto valise 2009, semiótica, Valises on 31 janeiro, 2009 by Marco Aqueiva

dsc08675-copy

O que em mim sente está pensando que estes olhos de viagem respiram mares, sóis sem nuvens, corpos abertos ao vento e à comunicação, a humanidade do erro e da sede, a liberdade do horizonte, a poesia desperta para aproximações e encontros.

 

Atibaia – São Paulo – Itapema – Porto Alegre – Belo Horizonte – Natal, Bragança Paulista, quantos escritores e poetas desconfinam-se do isolamento e subsolo solipsista para um vasto e amplo cenário de encontros. É fabuloso o que a web propicia: encontros, beiras, aproximações e às vezes boas amizades, como as que venho cultivando com Carlos Pessoa Rosa, Pedro e Tânia Du Bois, Carmen Silvia Presotto, Nilza Amaral, Adriana Versiani, Ana Luiza Penha, Dirce Lorimier, Francisco Chagas, Nestor Lampros, Saide Kahtouni, os amigos da ASES, e tantos mais, que não deixa de ser, de fato, uma indelicadeza não referir  a todos os demais amigos e colaboradores. Perdoem-me as omissões que a literatura como toda atividade e processo humano é falho per si.

 

Poetas e prosadores, performers e declamadores, experimentalistas e conservadores, bons e maus escritores, buscam o sem-fronteiras da comunicação literária. E assim, de certo modo, a web propicia encontros, aproximações, beiras e acessos a leitores.

 

A vida é tão curta: por que, raios, está você então me lendo agora? Talvez você devesse buscar outro brinquedo. A web tem tanta coisa legal. Tem 107 razões para ser feliz… Aqui, na web, a existência é uma ventura e aventura, um fluir caudaloso, de súbitas e imediatas emoções-revelações.

 

Poetas são crianças adultas brincando com toda a seriedade porque não crêem na poesia como mero brinquedo.

 

Por isso retomemos as alças desta valise.

 

Colaboradores, please, voltem a descarregar da retina e da memória das valises da existência e do jogo ficcional as gemas e germes deste projeto.

 

Quem não o fez ainda pode já agora enviar sua colaboração.

 

______________________

 

relembrando aceitamos:

 

Valises ficcionais (poesia/prosa), textos que apresentem o objeto valise;


Valises ensaísticas, sem academicismos, maiores pretensões, respondendo à seguinte questão: o que autor por você apreciado carrega/esconde na valise?

 

Em torno destas duas orientações básicas, há toda uma grande gama de possibilidades.

 

Escreva-nos no endereço marcoaqueiva@yahoo.com.br .

 

________________

Arte e texto: Marco Aqueiva  a partir de Parati