Neon na VaLiSe

20061012

http://www.ultrafractal.com/showcase/samuel/20061012.html

 

Valise Luz Neon: POESIA VISUAL

por Tânia Du Bois

 

                                                           “NEON

 

                                             Quando triste

                                             penso na luz de neon

                                             que ilumina nas vitrinas

                                             os manequins.

 

                                             Entristecido

                                             sei que o clarão do neon

                                             atrai os olhares.

 

                                             Nada resiste ao neon

                                             das luzes das cidades:

                                                             derrubam muros

                                                             cativam almas

                                                             ávidas pela claridade.

 

                                              Triste

                                              fujo à aproximação

                                              do neon em luzes claras:

                                              armadilhas mortais

                                              em minha idade.”

 

          A poesia de Pedro Du Bois retrata a iluminação das fachadas dos estabelecimentos com luz de neon, que aos poucos foi substituída pelos painéis luminosos. O neon foi se tornando matéria prima para os artistas plásticos.

          Resgato o artista plástico e pioneiro em trabalhos especializados em luz de neon, o arquiteto e designer Jimmy Bastian Pinto. Ele produziu belas obras, buscou inspiração na sensualidade feminina, mostrando-nos as “belas luzes” que o mundo pode ver; revelou sua habilidade no criar “poético” em esculturas como, As Pernas de Tina Turner na Terra do Aladim, o perfil de Madonna e Silhuetas de Casais Dançando. Em todas as peças usou neon (direto ou indireto) em linhas continuadas e coloridas. Em algumas das esculturas o neon dá sensação de movimento, como se a luz estivesse saindo da peça. Suas esculturas foram recriadas em vários tamanhos que variam de 30 centímetros até 2 metros.

          Enfim, uma fantasia – poesia visual – que dispensa palavras quando nos referimos ao neon, luzes em aplicação nas esculturas.

          Fascinante, mas cada vez mais distante.

          Hoje, apenas considerado mais um estilo. 

 

Anúncios

6 Respostas to “Neon na VaLiSe”

  1. E quando há “neon” a Poesia vê, revê, tornando-nos feitoEfeito, tipos holográficos!!!

    Parabéns, Tânia, e gracias por mais poesia e estilos em nossas vidas.

    Abraços.
    Carmen Silvia Presotto
    http://www.vidraguas.com.br

  2. Amélia Simões Schwertner Says:

    Tânia
    desde a época do ginásio, as poesias do Pedro, até mesmo seus repentinos trechos inspiradíssimos que fluiam numa aula de Português, eram difíceis de serem entendidos. Seu estilo “rebuscado” com uma capacidade de síntese incrível e por muitos não entendida, era respeitada e por muitos não entendida de imediato (precisava-se de um pouco de imaginação, poesia, sentimento e entendimento das profundezas da ‘alma’).
    Estas explicações tuas são muito pertinentes, principalmente para esse tipo de leitor que aprecia poesia mas… não consegue entrar na alma do poeta.
    Abraços aos queridos amigos,
    Amélia

  3. Tenho, com a sua autorização publicado neste blogue alguns poemas de Pedro Du Bois, poemas com uma grande tensão poética.

  4. Caro Marco Aqueiva,

    Neste blogue acima referido, tenho de facto poemas meus e de outros poetas, bem como outro tipo de textos, mas os poemas que estava a comentar eram os de Pedro Du Bois, que lá estão publicados com a sua autorização.
    Tenho ainda mais dois blogues http://fogomaduro.blogspot.com/ onde publiquei alguns poemas nomeadamente de António Cícero e de outros poetas brasileiros e portugueses; e o blogue http://cascatadesilencio.blogspot.com/ onde publicarei só poemas que abordem o silêncio.
    E colabora em mais alguns sites literários e blogues, principalmente de poesia.

    Domingos da Mota

    Domingos da Mota

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: