VaLiSeS meta-PoéTicAs XxxviiI

ojo dios copy

Mais uma partida perdida (mas também ganha)

a Murilo

 

Novíssimo Orfeu

Murilo Mendes 

 

Vou onde a poesia me chama.

O amor é minha biografia,
texto de argila e fogo.

Aves contemporâneas
largam do meu peito
levando recado aos homens.

O mundo alegórico se esvai,
fica esta substância de luta
de onde se descortina a eternidade.

A estrela azul familiar
Vira as costas, foi-se embora!
A poesia sopra onde quer.

 

_+_+_+     ***     +_+_+_

 

 

Controverso

Marco Aqueiva

 

Não sou nem nunca poderei ser quem

concedeu fogo ao homem e o apagou

resgatou-o das águas e o afogou

 

Não: nunca mesmo poderei ser quem

enterrou versos olhos empoeirados

enforcou na palmeira o sabiá

 

Pela última vez digo: não serei

 

o ar na garganta sem chegar ao verso

terra à palma da mão sem continente

água às sombras mais amplas sem moldar

massas de erros torcidos no ano zero

 

: fogo restaurador de chão e inícios

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: