a VaLiSe aMaReLa eNcanTaDa

 

A VALISE AMARELA ENCANTADA 

por Tânia Du Bois

 

         Na valise amarela carregavam tudo das crianças, enquanto bebês. Depois, foi transformada em biblioteca ambulante e, por isso, encantada e indispensável na vida de Júlia e Luísa.

         As crianças adoram sonhar. A imaginação infantil se apresenta em diversas situações, sendo uma delas o hábito pela leitura ou o seu acompanhamento (fundamental para o desenvolvimento infantil).

         Júlia (4 anos) e Luísa (2 anos) carregam sempre a valise amarela. Ela é pequena, mas repleta de grandes obras, como os clássicos da literatura infantil, em que Luísa, ao ouvir a leitura d’O Soldadinho de Chumbo, cria novo rosto, muda o personagem, e o chama de A Bailarina de Chumbo. Ou as princesas que encantam a vida de bailarina de Júlia. Os contos do Fundo do Baú, Fábulas de Ouro, as histórias de Monteiro Lobato.

         Júlia e Luísa são donas de imaginação que vai às alturas, incorporam os super-heróis a cada momento. Quando uma história lhes é contada, há trocas emocionais e, nessas ocasiões, é que verificamos a boa influência da valise amarela em suas vidas.

         Na valise encantada encontram-se, entre tantos escritores, esses que são verdadeiros mágicos por transformarem tudo em motivo para a criação, como:

Ruth Rocha – faz uma arte entrelaçada; Ana Maria Machado – Eu era um dragão; Maria Clara Machado – palavras novas em estilo simples e claro, com divertido ritmo, Lila e Sibila na Praia; Cecília Meireles – Isto ou Aquilo; Tatiana Belinki – Limeriques, histórias contadas em 5 linhas, ritmadas e bem maluquinhas. 

         Ainda, Ziraldo, “A letra N e o nascimento da Noite” – “A noite é o casamento / da letra N e de Oito…” Carlos Nejar, “As águas que conversam” – “Andar em roda / gigante / no tenro alpendre / das ondas…” José Saramago, “A maior flor do mundo” – “Era uma flor… E como este menino era especial de história, achou que tinha que salvar a flor…” Chico Buarque, “Chapeuzinho Amarelo” – “Tinha medo de tudo, … Ouvia conto de fada e estremecia. Depois, acabou o medo e ele ficou só com o lobo…” Gabriel Garcia Márquez, “A luz é como a água” – “Totó me perguntou como é que a luz acendia, só com a gente apertando um botão… A luz é como a água – respondi – A gente abre a torneira e sai…” 

         A valise amarela é poderosa porque contém esses e tantos outros consagrados da literatura infantil. É a sinfonia que contagia Ju e Lu a participarem dessa viagem sem fim que é ter a vida como um palco.

         Elas curtem, brincam e conversam com os livros e seus personagens. Fazem da sua casa um picadeiro, onde cada uma apresenta uma atração diferente. Arregalam os olhos e deixam o coração, a emoção, outra vez, rodopiar no circo da imaginação, como passarinho a bater as asas em uma orquestra.

         Além de se divertirem, a fantasia faz com que elas compreendam e aceitem o mundo em que habitam e a lidar com as “bruxas”.

         Luísa e Júlia não estão apenas carregando a valise amarela, estão, através do lúdico, aprendendo a viver.

         Saramago pergunta: “E se as histórias para as crianças passassem a ser leitura obrigatória para os adultos? Seriam eles capazes de aprender realmente o que há tanto tempo têm andado a ensinar?”

)   )   )   .lllll   ***   lllll.   (   (   (

Imagem: Marco Aqueiva

 

Anúncios

Uma resposta to “a VaLiSe aMaReLa eNcanTaDa”

  1. Hey que rica valise!!!

    Parabéns Tânia pela escrita, parabéns Aqueiva pela publicação.

    Um abraço carinhoso.

    Carmen Silvia Presotto

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: