Arquivo para maio, 2010

DuLciNeia + Cronópios = H2Horas

Posted in Cronópios, Dulcinéia Catadora on 29 maio, 2010 by Marco Aqueiva

.

Anúncios

Da VaLiSe NaDa Se LeVa ?

Posted in Art, arte, Arte engajada, artes plásticas, Crítica, História, literatura, Literatura 2010, Literatura Brasileira, literature, Metalinguagem, semiótica, Valise 2010, Valises on 26 maio, 2010 by Marco Aqueiva

 

Meus amigos, minhas amigas:

Completaram-se neste maio dois anos de estrada carregando valises.

É pouco, é mesmo quase nada…

É curioso que vivamos nestes nossos tempos experiências – como esta de carregar valises – amesquinhando-as numa perspectiva de resultados e de fruição imediata. Uma multidão de episódios animados seja pelo cálculo seja pelo prazer. Embora a lógica dos resultados mova o mundo, não mobiliza todo o mundo. Ademais, no reino mecânico das funções físico-químicas e dos lucros voláteis há justificativas para o fruir imediato e absoluto desligado de uma consciência temporal mais alongada… Mas esta é agora uma outra discussão, lenga-lenga inoportuna!

Comemoremos olhando para as valises. Quem vive no passado é sarcófago e aqueles profissionais, como arqueólogos, que sempre estão ameaçando dar-nos mais uma prova de nossa arrogante mediocridade… Amo vocês incondicionalmente historiadores. Somos nós ficcionistas e historiadores irmãos de hábito e função!

Preciso mesmo comemorar dizendo que de valises podem ascender mundos sonhados e possíveis contra a lógica implacável de lucros e ganhos. Quem leva mesmo a sério estas palavras pode ler-me mais um pouquinho, que já termino, certo? Horácio, o romano, recomendava paciência aos jovens poetas…

Com estas valises pensava, ainda penso – suspenso o olhar às palavras essenciais – oferecer pratos variados. Valises não são iguarias que se comam requentadas. Nem são comestíveis. Tampouco iguarias. Ah o ideal romântico de valises palavras perseguindo a felicidade num tempo em que possamos dar voz e vez ao que é essencial… Não é bonito, portanto, vulgarizarem-se valises em edição a R$ 1,99. PF prato feito é um atalho para o estômago, e valises têm me oferecido a rara oportunidade de preparar textos, provar de finas iguarias e partilhar amizades que não se vendem e compram.

Meus agradecimentos e um abraço grande a vocês todos que estão sempre ao pé do essencial e destas valises,

do amigo Aqueiva.

Uma VaLiSe à R F

Posted in Ensaio, literatura, Literatura 2010, Literatura Brasileira, literatura latino-americana, literature, prosa ficcional, prosa poética, Rubem Fonseca, semiótica on 18 maio, 2010 by Marco Aqueiva

http://www.gargantadaserpente.com/coral/contos/ma_aleph.shtml

VaLiSe enTre DuaS voLTaS Do CaMinhO

Posted in literatura, Literatura 2010, Literatura Brasileira, literature, Poética, poema, poesia, semiótica, Valise 2010, Valises on 18 maio, 2010 by Marco Aqueiva