o ReaL iNiMigo

Quanto cotidiano cabe em teu crânio?

 

À luz do dia – a superfície em destroços

cidade e as coisas feitas avançando

e à medida das cascas não bastam olhos

 

Quanto cotidiano cabe no homem

até os sonhos estalarem vazios por dentro?

 

De quanta grandeza um oco estalo sem onde

 : violência sem contato e ocasião propícia

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: