Archive for the artes plásticas Category

VaLiSe de O azul versus o cinza

Posted in Art, arte, artes plásticas, Artes Visuais, Editora Patuá, literatura, Literatura Brasileira, literature, O azul versus o cinza, poema, Poema Visual, poesia, Poetry, Valises on 20 novembro, 2012 by Marco Aqueiva

uMa VaLiSe à MeCâNiCa CeLeSTe

Posted in Art, arte, artes plásticas, Artes Visuais, Literatura Brasileira, Poética, poema, poesia, Poetry, Valises on 20 outubro, 2012 by Marco Aqueiva

uMa VaLiSe à GeRMiNa

Posted in Aqueiva, Art, arte, artes plásticas, Germina, literatura, literature, poema, Poema Visual, semiótica, Valises on 14 setembro, 2012 by Marco Aqueiva

DuaS VaLiSeS: ao CRoNóPioS e às MaLLaRMaRGeNS

Posted in Aqueiva, Art, artes plásticas, Artes Visuais, Cronópios, literatura, Literatura Brasileira, literature, Mallarmargens, poema, Poema Visual, poesia, Poetry, semiótica on 14 setembro, 2012 by Marco Aqueiva

SaD PLaYeR

Posted in Art, arte, artes plásticas, Artes Visuais, Mallarmargens, Poética, poema, Poema Visual, poesia, Poetry on 26 maio, 2012 by Marco Aqueiva

Publiquei na Revista Mallarmargens um ecografismo (poema visual).

Confiram no link

http://mallarmargens.blogspot.com.br/2012/05/sad-player-s-d-o-o-s-s-o-r-n-o-i-e-l-m.html#!/2012/05/sad-player-s-d-o-o-s-s-o-r-n-o-i-e-l-m.html

QuaTaTiS denTrO da VaLiSe

Posted in Art, arte, artes plásticas, Artes Visuais, Literatura Brasileira, literature, poema, poesia, Poetry, QUATATI, Valises on 13 março, 2012 by Marco Aqueiva

o LeiToR soB Uso *** 1.1

Posted in Art, arte, artes plásticas, literatura, literature, Metalinguagem, poema, poesia, Poetry, semiótica, Valises on 5 janeiro, 2012 by Marco Aqueiva

 

pOrOs pOr sãO pauLO

Posted in Art, arte, artes plásticas, Crítica, Cronópios, Jacek Yerka, literatura, Literatura 2010, Literatura Brasileira, literature, Poética, poema, poesia, Poetry, prosa poética, semiótica, Surrealismo, Valise 2010, Youtube on 7 dezembro, 2010 by Marco Aqueiva

por Marco Aqueiva

————————————–

Não se alcança a incompreensão da cidade sem os abismos e o desconcerto de um roteiro de leitura?

Não se chega à poligrafia de São Paulo sem as certezas apoiadas nas estatísticas?

Por que não se compreendem os ressaltos da solidão e as enchentes de janeiro sem a fala dos especialistas?

Nós, loucos e lúcidos por São Paulo, podemos com todo direito cantá-la lírica e cinicamente, épica e dieteticamente, dramática e ridiculamente.

São Paulo em que tardo, ávido pela serragem da imaginação decompondo fatorialmente aqueles números inteiros pesados de logística e razão.

Nem que seja pelos poros da palavra.

Artes tarde do que nunca.

___________________

Confira texto na íntegra no Cronópios

http://www.cronopios.com.br/site/prosa.asp?id=4832

________________________

Imagem: Jacek Yerka

Num Café

Posted in Art, artes plásticas, conto, literatura, Literatura 2010, Literatura Brasileira, literature, música, Philip Glass, semiótica on 28 julho, 2010 by Marco Aqueiva

MIGUEL WESTERBERG - 2008 - Conversas no Café a Brasileira Chiado Lisboa

Por Marco Aqueiva

——————————————

Será mesmo um café? Relê. Acesso restrito a escritores e poetas. Luz convidativa. Entrada à direita livre. Ele lá fora num boteco sujo entre dejetos e dívidas. À esquerda põe os grandes olhos no bolinho de carne. Minhocas brotando do tecido orgânico que come. Esfrega os olhos e o verso do bolso quando a grama acaba. A alma do negócio é sempre uma receita contra o tédio. Mas será mesmo aquilo um café? Juntam-se agora aos dejetos, dívidas e dúvidas aquela que passa olho na perna. Será mesmo ela entrando no café que as memórias sentimentais me deixou rever? Ele lá na malhação dos olhos e da boca pesados de chorume. Minhocas, repete para si mesmo. Ele lá sem colírio ou listerine. No tráfego intenso atrás das bem fornidas pernas que entram, sem olhar para trás, à direita.

Imagem: MIGUEL WESTERBERG – 2008 – Conversas no Café a Brasileira Chiado Lisboa

O segundo milhão ninguém esquece

Posted in Art, arte, artes plásticas, Artes Visuais, Cronópios, literatura, Literatura 2010, Literatura Brasileira, literature, poesia, Poesia espanhola, Poetry, semiótica on 15 julho, 2010 by Marco Aqueiva