Arquivo para conto

Tentando o possível

Posted in literature, narrativa, Sem-categoria with tags , , , , , on 27 maio, 2008 by Marco Aqueiva

Talvez os olhos atravessem a mão, a palheta e a tela, cheguem à valise entre o púbis e a ação, além dos lábios finitamente retorne o sonho e se sintam então atravessados.

++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++

PROJETO VALISE 2008

Ficcionalizemos o que não se fixou
: a chegada da mosca ao novíssimo continente

Quando foi? Em 1788, ou em quaisquer outros
anos que terminam em dígito oito talvez pouco importe

Mas oito é uma estação tão boa quanto qualquer
outra em que a valise se abra before the experience

Achemos assim na experiência ficcional
o que de fatos ignorados pela experiência
irrepetível do passado revele a ficção

Achemos na experiência ficcional
a sombra irrepetível dos fatos
não acontecidos como os mesmos e outros achados
e perdidos do não visto sob o enigma
da história que continua outra

e a mesma em seu percurso
tentando o impossível

um outro sentido aos descartes
do viajante ignorando o próprio diário
e o interior da valise

________________________

CONTRIBUA COM ESTE PROJETO

DÊ UM SENTIDO ADEQUADO AOS DESCARTES
DA HISTÓRIA

QUEM SABE CHEGUEMOS A ESCREVER
UM MEMORIAL DAS COISAS IRREAIS
INFILTRADAS DE HISTÓRIAS
DESESPERADAS POR SOBREVIVER

Crédito da imagem: Tentando o impossível (1928), Magritte palhetando a fundação do desejável

Da religiosidade

Posted in literature, narrativa with tags , , , , , , , on 24 maio, 2008 by Marco Aqueiva

Um sonho que suspeita de deuses falsos

++++++++++++++++++++++++++

Abramos a valise

Nela desorganizadamente

a carteira de identificação

imponderável ao destino

um lenço que desliza

como estes olhos severos

um pente e uns cabelos a mais

preenchendo melhor o espelhinho

e a marca de batom carmim

no chiclé ainda fresco dos dentes

Pulam dela as linhas férreas

e a febre incompreensível ardente

do arado nos pregões da Bolsa

um senso de irrealidade

Pulam dela, ainda, a música do fundo

um recomeço que se perde

do trampolim mais alto

mares – mares onde viver além das pedras

e do mesmo endereço

: um lenço desliza sem despedidas

Crédito de Imagem: Te Rerioa (1897), Paul Gauguin deslizando em seus sonhos

Projeto Valise 2008

Posted in literature, narrativa with tags , , , , , , , on 23 maio, 2008 by Marco Aqueiva

Isto é um Púbis (con)Traído em 1928

gaugin

Vilões ruins contraíram dívidas e acabaram por empenhar a valise junto à fronteira do lugar-comum e torpor.

TiRaR da VaLiSe

a CaIxA de PANdoRA

de onde saia

a esperança

esta deusa da fecundidade

de imensa prole

cotonetes coloridos

meio tom

Rosa1908 

germinal

eraOdito

caligrafia do impossível 

bagatelas

Apollinaire1918 

sambaqui

Nietzsche verão 1888

quantas histórias da era dos extremos

quantas narrativas achadas perdidas

Crédito da imagem: Isto não é um cachimbo (1926), Magritte